Topo
Blog Na Garagem

Blog Na Garagem

Volvo XC60 usado por Moreira Franco vai aos 210 km/h e pode frear sozinho

UOL Carros

21/03/2019 16h05

Foto: Divulgação

Primeira geração do Volvo XC60 era feito na base do Ford Fusion

As prisões do ex-presidente Michel Temer e de Moreira Franco (ambos do MDB), ex-ministro de Minas e Energia e ex-governador do Rio, movimentaram a manhã desta quinta-feira (21). Temer foi preso em São Paulo, mas no caso de Moreira Franco, preso na cidade do Rio (RJ), tivemos um momento "filme de ação", com cenas de perseguição automotiva , envolvendo um táxi e um Volvo XC60.

Não é possível cravar com precisão pelas imagens de TV, mas o mais provável é que os agentes tenham usado um Renault Fluence de frota de táxi especial, que não usa a tradicional pintura amarela dos táxis comuns cariocas, mas sim a cor branca, mais discreta.

Moreira Franco conseguiu despistar agentes da Polícia Federal no Aeroporto Internacional do Galeão e entrar em um Volvo XC60 da geração anterior.

Longe de qualquer viatura, os policiais solicitaram o táxi de um dos motoristas que operam no aeroporto para seguir o SUV e, usando a faixa exclusiva de ônibus BRT, alcançar o Volvo de Moreira Franco e realizar a prisão.

É até curioso ter um sedã com motor 2.0 flex (143 cv, 20,3 kgfm com etanol), de fabricação argentina, perseguindo um SUV sueco com quase o dobro da potência, com ou sem uso da faixa de ônibus. Mas, como apontamos, não é possível ter certeza do uso do Fluence como "perseguidor".

Como é este Volvo XC60

Moreira Franco estava no banco do passageiro de um Volvo XC60 2014, com sua última reestilização antes da mudança para a geração atual. Há época, o XC60 ainda era fabricado sobre a mesma plataforma do Ford Fusion, apesar da Volvo já estar distante do controle da Ford.

É um SUV de porte mediano, com 4,64 m de comprimento e 2,77 m de entre-eixos (o Fusion 2014, por exemplo, tem 4,87 m por 2,85 m), com 490 litros no porta-malas, mas pesado: 1.883 kg.

Nesta versão, na linha 2014, o motor 2.0 turbo Drive-E, a gasolina, estreou para maior eficiência: nesta configuração, gera 245 cavalos, com 35,7 kgfm, aliado ao câmbio automático Geartronic de oito marchas, com tração apenas na dianteira.

Na cor "Rich Java Metallic" (que assume tom de marrom dependendo da luz ambiente), o modelo é da versão intermediária T5 Dynamic, que tinha preço inicial de R$ 162.950. Pela Tabela Fipe o preço atual de mercado é de R$ 92.120 (56% do valor).

Rivais da época são parecidos com os atuais: BMW X1 e Range Rover Evoque, sendo que o Volvo tinha a vantagem comercial de ser mais barato, ainda que a rede de atendimento seja menor que a das concorrentes.

XC60 T5 2014 estreou motor Drive-E, mais eficiente

Segurança é atrativo

Apelo maior do XC60, porém, eram os equipamentos de segurança ativa e passiva de série, ponto de honra para a sueca Volvo. O XC60 T5 tinha quatro airbags, controles estabilidade, bancos em uma peça e que minimizavam o chamado "efeito chicote" para proteger coluna e pescoço dos ocupantes e colisões. Além disso, já tinha o sistema City Safety, um antecessor dos sistemas semi-autônomos da atual geração.

City Safety monitora o tráfego à frente do XC60, bem como obstáculos e pedestres, podendo frear de forma automática, sem ação do condutor, para evitar ou reduzir danos de acidentes em velocidades entre 15 km/h e 30 km/h. A Volvo dizia que isso seria suficiente para dar conta de 75% das colisões urbanas.

Acionado por um sistema a laser, o City Safety tinha ângulo de varredura restrito, para não "segurar" o carro em movimentos na diagonal, algo que modelos semi-autônomos atuais já podem fazer. O motorista, porém, poderia desativar o sistema.

Sobre o Blog

Bastidores, curiosidades e pequenas loucuras revelados pela redação de UOL Carros, que nunca para de falar de carros. Nunca...