Topo
Blog Na Garagem

Blog Na Garagem

Sinal de seta foi inventado por uma famosa atriz de cinema mudo. Saiba mais

UOL Carros

2008-03-20T19:07:00

08/03/2019 07h00

Florence Lawrence, atriz e inventora da sinal de direção (seta), era também amante de carros. Na imagem, aparece ao volante de um Lozier 1912, na Pennsylvania EUA

Florence Lawrence, atriz e inventora da sinal de direção (seta), era também amante de carros. Na imagem, aparece ao volante de um Lozier 1912, na Pennsylvania EUA

Florence Lawrence foi uma famosa atriz de cinema mudo no início do século 20. Entre as suas 300 participações cinematográficas, seus filmes mais famosos, segundo o IMDB, foram as películas "Not Like Other Girls" (1912), Lady Jane's Flight (1908) e The Taming of the Shrew (1908). Mas qual a relação dela com a indústria e a cultura de carros?

Acontece que no mundo automotivo, Florence também teve participação gigante, mas infelizmente pouco lembrada.

Nascida em Ontario (Canadá), em 1886, a atriz era apreciadora de automóveis e foi a criadora do primeiro sinal de direção — na época, uma seta mecânica. Também é criação dela o primeiro sinal de freio, uma geringonça mecânica precursora da atual luz de freio.

Apesar do pioneirismo, Florence não teve qualquer lucro com as invenções, já que nenhuma delas foi patenteada.

LEIA MAIS

Toyota Corolla 2020 mostra todas as configurações no Salão de Genebra; veja
Bugatti La Voiture Noire, carro mais caro do mundo, já tem dono

Foco na segurança dos carros

Uma das primeiras mulheres a ter o seu próprio carro, Florence adorava estudar os automóveis e desenvolveu em 1914 um mecanismo que, acionado por um comando, levantava ou baixava uma sinalização no para-choques do carro, sinalizando para os motoristas que o seu automóvel iria fazer uma curva.

Além disso, a atriz também criou outro mecanismo. Quando o freio era pressionado, um placa de "STOP" (pare, em português) era impulsionado na traseira do carro — uma primitiva sinalização de freio.

A mãe da atriz tentou patentear uma outra invenção que alegava ser de Florence, o primeiro limpador de para-brisas elétrico, mas fracassou na tentativa. Curiosamente, a patente ficou com outra mulher, Mary Anderson. No caso dos sinais de direção e de parada, porém, as invenções acabaram sendo patenteadas anos depois por grandes indústrias comandadas por homens.

Reconhecida como uma das primeiras estrelas do cinema, a carreira da atriz foi comprometida após se queimar quando tentava resgatar um outro ator em um incêndio no estúdio em 1915. Depois disso, teve dificuldades para permanecer na indústria em grandes papéis.

Sofrendo de uma séria doença óssea, Florence cometeu suicídio em 1938, aos 52 anos, quando se envenenou em sua residência em Beverly Hills.

Sobre o Blog

Bastidores, curiosidades e pequenas loucuras revelados pela redação de UOL Carros, que nunca para de falar de carros. Nunca...