Blog Na Garagem

Clio e Classe S ilustram o abismo entre mínimo e máximo

UOL Carros

26/07/2013 17h35

Não é preciso discorrer sobre as diferenças entre mínimo e máximo. São substantivos antônimos; um não pode ser o outro, e ponto.

Mas, se compusermos sentenças com as locuções “o mínimo necessário”  e “o máximo possível”, embaralhamos a semântica e enveredamos pelo terreno das escolhas — digamos assim — filosóficas.

Inclusive na indústria automotiva.

Tirar o máximo possível do mínimo necessário, por exemplo, é o que faz a Renault, que hoje dota seu Clio sul-americano de pouco mais que freios comuns e cintos de segurança para proteger seus clientes.

Renault Clio: esse carro é o mínimo!

Também por isso, a marca pode vender o modelo a preço relativamente baixo (menos de R$ 25 mil), ganhando na quantidade de emplacamentos. Ela maximiza seu lucro ao minimizar (dentro da lei) os itens de segurança.

No ano que vem, o Clio nacional passa a ter airbags frontais e freios com ABS, mas só porque serão dispositivos obrigatórios. Neste 2013 que ainda não acabou, a Renault prefere aguentar firme até o vexame imposto pelos testes do Latin NCAP, nos quais o compacto tirou um redondo zero quanto à proteção a adultos nos bancos dianteiros.

“O Clio tem o mínimo necessário”, poderia argumentar a montadora. E estaria certíssima.

Fato é que o máximo possível é mais útil à sociedade, parece, quando não dá as mãos ao mínimo necessário. A Mercedes-Benz ofereceu eloquente exemplo disso há duas semanas, ao lançar a nova geração do sedã Classe S.

O carro traz não apenas o que parece ser o máximo possível em termos de tecnologia, luxo e segurança, como chega ao paroxismo de subverter o senso comum ao trazer à luz a existência de um (quase sempre) insuspeitado máximo necessário: tudo indica que o modelo pode dirigir a si mesmo, mas a Mercedes teve de conter essa capacidade simplesmente porque as ruas (e, de modo mais geral, os governos) não estão preparados para receber/permitir um carro interagindo com o ambiente de forma hipercomplexa.

Mercedes Classe S: ele é o máximo, ao ponto de ser meio que proibido…

A direção autônoma (autonomous driving, como descrevem os executivos da Mercedes) é o máximo possível que a indústria automotiva tem a oferecer à civilização? Pelo conforto e segurança hoje impensáveis a não ser na ficção, e mais ainda se aliada a emissão zero/eficiência energética total, cremos que sim.

E o Clio sem airbags e ABS, ainda com alguns meses de mercado brasileiro à frente, é o mínimo necessário que a Renault tem a oferecer a seus clientes?

Certamente: é o que diz a lei. Mas é, também, uma decepção.

PS — Sim, leitores, eu sei perfeitamente que o Classe S vai custar no Brasil cerca de 25 vezes mais do que custa hoje o Clio. Mas sei também que em 1978 um ancestral desse mesmo Classe S foi o pioneiro no uso de freios ABS em carros de produção; hoje, o sistema antiblocante é uma banalidade, e barato a ponto de valer a pena retorná-lo ao Clio em 2014. 

(por Claudio Luís de Souza)

Sobre o Blog

Bastidores, curiosidades e pequenas loucuras revelados pela redação de UOL Carros, que nunca para de falar de carros. Nunca...

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

UOL Carros - Blogs - Blog da Redação
UOL Carros - Blogs - Blog da Redação
UOL Carros - Blogs - Blog da Redação
UOL Carros - Blogs - Blog da Redação
UOL Carros - Blogs - Blog da Redação
UOL Carros - Blogs - Blog da Redação
UOL Carros - Blogs - Blog da Redação
UOL Carros - Blogs - Blog da Redação
UOL Carros - Blogs - Blog da Redação
UOL Carros - Blogs - Blog da Redação
UOL Carros - Blogs - Blog da Redação
UOL Carros - Blogs - Blog da Redação
UOL Carros - Blogs - Blog da Redação
UOL Carros - Blogs - Blog da Redação
UOL Carros - Blogs - Blog da Redação
UOL Carros - Blogs - Blog da Redação
UOL Carros - Blogs - Blog da Redação
UOL Carros - Blogs - Blog da Redação
UOL Carros - Blogs - Blog da Redação
UOL Carros - Blogs - Blog da Redação
Blogs - Blog da Redação
Blogs - Blog da Redação
Blogs - Blog da Redação
Blogs - Blog da Redação
Blogs - Blog da Redação
Blogs - Blog da Redação
Blogs - Blog da Redação
Blogs - Blog da Redação
Blogs - Blog da Redação
Blogs - Blog da Redação
Blogs - Blog da Redação
Blogs - Blog da Redação
Blogs - Blog da Redação
Blogs - Blog da Redação
Blogs - Blog da Redação
Blogs - Blog da Redação
Blogs - Blog da Redação
Blogs - Blog da Redação
Blogs - Blog da Redação
Blogs - Blog da Redação
Blogs - Blog da Redação
Blogs - Blog da Redação
Blogs - Blog da Redação
Blogs - Blog da Redação
Blogs - Blog da Redação
Blogs - Blog da Redação
Blogs - Blog da Redação
Blogs - Blog da Redação
Blogs - Blog da Redação
Topo