PUBLICIDADE
Topo

Fittipaldi encontra o homem que fez o motor de Corvette recordista

UOL Carros

01/06/2012 20h05

Exatamente um ano atrás UOL Carros esteve em Indianapolis, nos Estados Unidos, para assistir à histórica 100ª prova da Fórmula Indy naquela cidade. O piloto Emerson Fittipaldi acompanhou a delegação de jornalistas brasileiros e até nos levou para umas voltinhas num Camaro conversível — tentamos registrar tal privilégio em vídeo, mas não deu muito certo.

Este ano a Chevrolet está de volta à Indy, e a Indy de volta ao circuito de Belle Isle, em Detroit, cidade-sede da GM. Mais uma vez Emerson Fittipaldi acompanha os jornalistas do Brasil. Nesta sexta-feira (1º), o programa foi conhecer a fábrica de motores do esportivo Chevrolet Corvette — uma unidade localizada em Wixom, vizinha a Detroit, e que monta 24 propulsores V8 a cada turno de dez horas.


Fittipaldi posa com Corvette ZR1 que pilotou na Indy 500 de 2008

Chegando à fábrica, uma surpresa: logo na entrada estava exposto um Corvette movido a etanol (no esquema E85) usado como pacecar na Indy 500 de 2008, autografado pessoalmente por… Emerson Fittipaldi, que o pilotou na ocasião.

Naquele mesmo ano, esse Corvette ZR1 bateu o recorde da pista de Nürburgring, na Alemanha, completando o quilométrico circuito em pouco mais de 7m26s. A velocidade máxima do carro é de 330 km/hora.

Logo depois de encontrar o carro, um momento único: numa das linhas de montagem estava trabalhando um certo Richard McBride, ninguém menos que o auto worker (termo que aqui nos Estados Unidos equivale ao nosso "metalúrgico") responsável pela montagem do motor do Corvette guiado por Emerson em 2008!


Fittipaldi e McBride: piloto e criador trocam figurinhas sobre o V-oitão do Corvette

O encontro dos dois chegou a ser emocionante, porque — como quase todos os seus colegas — McBride também é um entusiasta da velocidade. Para homenagear o piloto brasileiro, chamou-o para finalizar a montagem do comando de válvulas de um motor V8, que estava na metade de seu ciclo de produção, de cerca de três horas.

Tratou-se de um risco controlado, claro, porque esta fábrica costuma receber compradores de Corvette para participar pessoalmente da montagem do motor de seus futuros carros. Não ia ser justamente o Emerson a errar o torque dos parafusos, certo?

Viagem a convite da GM do Brasil

Sobre o Blog

Bastidores, curiosidades e pequenas loucuras revelados pela redação de UOL Carros, que nunca para de falar de carros. Nunca...