Blog UOL Carros

Arquivo : segurança automotiva

Reino Unido faz campanha assustadora para reduzir número de acidentes de trânsito
Comentários Comente

UOL Carros

 

Algumas coisas só se resolvem no susto, já que ele faz as pessoas acordarem, ou, no mínimo, ficarem mais espertas. Foi com esse pensamento que o Departamento de Trânsito do Reino Unido criou esta campanha, chamada Pub Loo.

A cena acima se passa em um barzinho inglês. Três homens vão ao banheiro e, enquanto lavam as mãos, são surpreendidos por um rosto (de um boneco), que bate violentamente contra o espelho, quebrando-o, soltando um líquido que imita sangue.

A pancada simula exatamente o “voo” de um passageiro sem cinto sobre o para-brisa de um carro, durante um acidente de trânsito.

Pode parecer pegadinha, mas não é: as três pessoas envolvidas são atores que toparam participar de “uma campanha em prol da segurança automotiva”, sem saber o que iria se passar. Após o “susto”, todos afirmaram que não bebem antes de dirigir e que iriam realertar amigos e familiares.

A campanha, chocante e criativa, pode trazer melhores resultados aos índices de mortalidade do Reino Unido. É uma das maneiras que podem ser adotadas para avisar a população sobre o perigo de misturar álcool e direção.

Ela é menos violenta que as campanhas da República Checa e da Austrália, divulgadas por UOL Carros cerca de dois anos atrás, mas mais forte que uma campanha brasileira de conscientização (do Estado de Santa Catarina), que usa personagens como Beto Costura, Maria Apressadinha, João Barbeiro e Zé Tartaruga para representar as imprudências e infrações cometidas pelo brasileiro ao volante.

Fica a discussão: qual é o jeito mais apropriado de se fazer uma campanha para que o povo se conscientize da gravidade deste assunto?

Relembre as campanhas mencionadas abaixo. Atenção: as cenas são fortes.

(André Deliberato) 


‘Guardiões’ bombam na rede e expõem insegurança do trânsito
Comentários Comente

UOL Carros

Num cruzamento qualquer, semáforo fechado, um Fiat Mille avança sobre a faixa de pedestres, deixando pouco espaço para que uma mulher a atravesse. Infelizmente, esta é a realidade de muitas cidades brasileiras, mas neste ponto a situação foge do comum: nove rapazes com luvas surgem, se espalham ao redor do hatch, para depois erguê-lo e conduzi-lo até o lugar correto de parada dos carros, atrás da linha de segurança. Após a façanha, o grupo segue seu caminho. Fim da história.

[uolmais type="video" ]http://mais.uol.com.br/view/13273458[/uolmais]
Você também pode assistir ao clipe clicando aqui.

A cena que surpreende, e até estimula uma risada, é um viral — um vídeo que parece feito por um cinegrafista amador, mas foi produzido. Visto mais de 500 mil vezes no YouTube, ganhou a mídia internacional e levou muitos à reflexão.

Tudo faz parte de uma campanha criada pelo Rotary Club Hermann Blumenau, de Santa Catarina, para defender “um trânsito mais humano” e protestar contra mais de 1.000 atropelamentos nos últimos cinco anos, na cidade catarinense de Blumenau, que tem mais de 300.000 habitantes e é mais conhecida pela Oktoberfest. O mote é “Você também pode tirar um carro da faixa… o seu” (visite o site da campanha clicando aqui).

Apesar do sucesso do vídeo na rede mundial, a conotação é ruim para nosso país. O portal americano “The Huffington Post” (aqui) apelidou os nove de “Brazilian Crosswalk Guardians” (guardiões brasileiros da faixa de pedestre) e destacou que apesar dos acidentes de trânsito provocarem “1,2 milhão de mortes a cada ano, em todo o mundo, mais de 90% delas ocorrem em países de baixa e média renda”. Foi além, ainda, ao dizer que “o Brasil tem números de óbitos significativamente maiores que os de Chile e Argentina”. Por fim, há a citação de que a média de mortalidade em nosso trânsito é de 5,46 pessoas para cada grupo de 100.000 habitantes e que Blumenau perderia 13 de seus pedestres por ano.

O “Autoblog” (aqui) também destacou o vídeo e a taxa de 13 mortes por ano apenas na cidade catarinense. Mas errou ao classificar o carro infrator como sendo um Fiat Panda. Tudo bem, a gafe automotiva é justificável. O mesmo não pode ser dito do mico de tantas mortes no trânsito.

Aproveite o feriado para pensar um pouco.


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>