Blog UOL Carros

Categoria : Na garagem

Polícia da Itália agora anda com Lamborghini Huracán, esportivo de 618 cv
Comentários 5

UOL Carros

Você já viu diversas reportagens — até em UOL Carros — sobre carros de polícia especiais, geralmente com destaque para o Lamborghini Gallardo usado pela força de segurança italiana. Pois esqueça: o carro — que na verdade não é um só, mas duas unidades — foi aposentado após rodar mais de 110 mil quilômetros em patrulhas desde 2009 (houve ainda dois exemplares da primeira geração do Gallardo, usados entre 2004 e 2008).

Huracán Polizia é "machinna" de 618 cv e R$ 530 mil

Lamborghini Huracán Polizia é “machinna” de 618 cv e R$ 530 mil

O lado bom, para a polícia de lá e para você que é fã de superesportivos, é que há um substituto: o presidente da Lamborghini, Stephan Winkelmann, doou o novo carro-chefe da marca, o Huracán, ao chefe da Polícia do Estado da Itália, Alessandro Pansa, em cerimônia realizada nesta quinta-feira (22) no museu de carros que a força de segurança mantém em Roma — (sim, um museu de carros de polícia!).

Calma, há linhas miúdas: o Huracán só vai integrar a frota policial italiana, de verdade, no final do ano. Também não foi revelado se haverá mais de uma unidade. Até então, havia um Gallardo à serviço da chefatura de Roma, outro para Bolonha.

Divulgação

Alessandro Pansa, chefe da Polícia, recebe Huracán de Stephan Winkelmann, presidente da Lamborghini

TUNADO PARA PROTEGER E SERVIR
Certo é que o cupê entregue à polícia italiana tem até nome especial: Lamborghini Huracán LP 610-4 Polizia. O motor é similar ao do Huracán civil: um V10 de 5,2 litros, 618 cv (610 hp, como indica o primeiro numeral do nome), 57,1 kgfm de torque e tração integral (justificando o outro numeral do nome), tudo controlado por câmbio automatizado de dupla embreagem e sete marchas. A velocidade máxima é de 325 km/h, com 0 a 100 km/h feito em 3,2 segundos.

Para patrulhar rodoviais e perseguir criminosos apressadinhos, o Huracán policial tem preparação especial: a pintura é a “blu Polizia”, um azul claro com faixas brancas e letras bicolores que segue o regulamento da tropa. A sinalização é feita por LEDs especiais (de ação mais veloz, para serem vistos a distância e em alta velocidade), na dianteira, traseira e sobre o suporte de alumínio do teto, e mais quatro sirenes.

Na cabine, uma câmera no retrovisor se liga ao computador e ao GPS para ler placas automaticamente, gravar imagens, dar a localização e calcular a velocidade de outros veículos infratores — informações que podem ser transferidas automaticamente para o sistema integrado da polícia em delegacias. Tablete, porta-armas e rádio completam a lista de equipamentos.

Há ainda uma função de assistência médica: o porta-malas dianteiro (o motor do Huracán é central-traseiro) tem um refrigerador especial para o transporte de órgãos e ainda carrega um desfibrilador.

Máxima de 325 km/h auxilia na perseguição de infratores e também no auxílio á doação de órgãos

Máxima de 325 km/h auxilia na perseguição de infratores e também no auxílio á doação de órgãos

QUER UM?
Infelizmente, a versão policial é exclusiva… da polícia. O preço também é salgado: estima-se algo em torno de 175 mil euros (quase R$ 530 mil). Já o Huracán convencional custa um pouco menos: 169 mil euros, cerca de R$ 511 mil, e pode chegar ao Brasil ainda este ano.

Como é o Huracán civil

Veja Álbum de fotos


Papa Francisco recebe chave do papamóvel e leva “ebike” de brinde
Comentários 7

UOL Carros

Com visita ao Brasil marcada para o fim deste mês de julho, papa Francisco não está mais a pé. O líder da Igreja Católica recebeu na última quarta-feira (3), no Vaticano, as chaves do papamóvel que usará pela primeira vez durante sua visita oficial ao país. O Classe M adaptado foi entregue pelo presidente da Mercedes-Benz, Dieter Zetsche.

Fotos: Divulgação

Acima, o Classe M adaptado que será usado pela primeira vez aqui no Brasil

Embora seja do mesmo modelo usado pelo antecessor Bento 16, o papamóvel atual é feito sob medida para Francisco: a cúpula envidraçada foi ampliada para melhorar o espaço interno, mas o utilitário está mais baixo para facilitar o acesso. A blindagem é resistente a artefatos de grosso calibre, como fuzis e metralhadoras. A mecânica, porém, não foi revelada pela marca, que alega questões de segurança.

No Brasil, o utilitário ML 350 convencional — que serve de base para o papamóvel — foi lançado em 2012 (relembre aqui) e é equipado com o mesmo motor 3.5 V6 de 306 cv que agora equipa o Classe E 2014 (veja o novo carro aqui), além de tração integral 4Matic. O preço varia em torno dos R$ 280 mil.

PAPA LIGADO
Curiosamente, papa Francisco é conhecido por abrir mão do transporte oficial do Vaticano e usar formas ambientalmente (e também politicamente) corretas, como metrô e bicicleta. Assim, acabou recebendo também uma bike com assistência elétrica de presente da Mercedes.


Papa Francisco poderá trocar o papamóvel pela bike descolada da smart

Chamada de smart ebike, a bicicleta de luxo custa pouco mais de 2.800 euros (cerca de R$ 8 mil limpos, mas que subiriam a até R$ 15 mil caso o modelo fosse importado ao nosso país oficialmente) e foi mostrada durante o Salão do Automóvel de São Paulo, em outubro de 2012 (relembre aqui).

Com design premiado e pesando 26 quilos, a ebike funciona no modo elétrico, como se fosse uma moto silenciosa, até os 25 km/h; a partir daí, é preciso pedalar. Computador de bordo, luzes de LED e freios a disco completam o pacote.


Brasileiro compra carro sem testar e uso da internet cresce na escolha
Comentários 49

UOL Carros

O brasileiro tem comprado cada vez mais carros (foram 3,6 milhões de unidades em 2012 e, neste ano, 1.707.633 unidades só no primeiro semestre, número que nos faz caminhar a novo recorde histórico), mas ainda abre mão de um comportamento fundamental para a boa escolha: 51% dos compradores de automóveis zero-quilômetro deixa de fazer o test-drive, segundo pesquisa divulgada nesta segunda-feira (1º) pela consultoria J. D. Power.

Foto: Manu Fernandez/AP

Brasileiro abre mão de testar carro antes de comprar carro novo;
conversa com amigos e pesquisa na internet ajudam a definir processo

Falta de oportunidade (a loja não oferece) ou mesmo de tempo e/ou vontade (o consumidor não pede) foram citados como principal motivo para que o comprador abra mão de testar um carro antes de colocá-lo na garagem, segundo o levantamento feito após 3 mil entrevistas online, entre os meses de abril e maio deste ano, com pessoas que compraram carro novo há até 7 meses.

Embora a pesquisa não faça ligação direta entre os fatos, é no mínimo curioso notar que apenas 8% dos compradores considera a confiablidade/durabilidade do carro como fator mais importante na hora de escolher um modelo novo. Em geral, o brasileiro prefere definir sua compra pela facilidade em pagar a conta diretamente ou por financiamento (9%) e se mantém fiel à marca se a experiência anterior for boa (11%).

COMO ESCOLHEM
É bom notar que esta pesquisa indica hábitos de uma parcela provavelmente mais elitizada do país: 84% dos entrevistados comprou um carro novo para substituir o anterior ou colocar um novo modelo na garagem. É ainda um público com acesso frequente (se não “full time”) à internet e a aparelhos que permitem estar online o tempo todo, até mesmo no momento em que se vai a uma concessionária.

Com isso, acabam chegando à loja com opinião quase sempre formada. Para fundamentar a decisão, apelam principalmente à opinião de amigos e parentes (45%) ou pesquisam na internet (43%). Quando estão conectados, pesquisam em mecanismos de busca como o Google (69%), sites das marcas (50%), sites especializados em carros (42%), de lojas (37%) e leem opiniões postadas em redes sociais (21%).

No “mundo real”, são ouvidos ainda outros donos do modelo que se pretende comprar (27%) e, claro, vendedores e funcionários/dono de concessionárias (23%).

Como se viu, há fidelidade (e, por consequência, confiança) à marca, mas não à loja: só 34% voltaram a comprar na mesma concessionária. Na lista de fatores listados como importantes no momento da compra, o processo de venda e entrega são listados como fundamentais por 27% das pessoas entrevistadas, ao passo em que 23% apontaram as instalações da loja e 22% a maneira como esta lida com o negócio de forma geral.

Em tempo: UOL Carros acredita na troca de informações sobre carros e, claro, no crescimento da internet neste processo, mas faz questão de alertar: num mercado em crescimento e com potencial para seguir em alta, mas ainda dominado por carros inseguros e incompletos, é fundamental dirigir e conhecer bem o carro antes da compra. Faça valer seu direito, sua vontade e seu dinheiro. (Do UOL, em São Paulo/SP)


História de carro bom começa na loja; conte seu caso
Comentários 4

UOL Carros

UOL Carros publicou nesta quinta-feira (23) sua avaliação sobre o Hyundai HB20S, configuração sedã do hatch compacto HB20. Quem ainda não leu, pode clicar aqui.

Como está explícito a partir do título — Hyundai HB20S Premium 1.6 quer provar que sedãs superam hatches — a ideia do texto é analisar o carro. E, de quebra, discutir a proposta da marca coreana de oferecer o sedã como um carro à parte, quase sem qualquer relação com o hatch. O preço é mais alto e os pacotes, mais completos.

Foto: Murilo Góes/UOL

Curiosamente, durante a avaliação do HB20S, ouvimos a história de um amigo, que viu frustrada sua vontade de comprar o mesmo modelo. Dono de um Chevrolet Agile, estava interessado em colocar um HB20S automático na garagem, incluindo o carro da GM na negociação com a Hyundai e parcelando o saldo.

Durante uma semana, procurou três diferentes lojas da Hyundai na cidade de São Paulo. E, segundo nos contou, foi recebido com pouco interesse pelos vendedores das três: seu usado foi mal avaliado, o valor final do carro novo e das parcelas não pôde ser negociado, não houve oferta do test-drive (premissa básica do cliente e ponto essencial da compra), nem escolha de cores (apesar do catálogo extenso, todas as lojas limitaram as opções ao preto, prata e branco). Além disso, o prazo de entrega prometido foi sempre superior a três meses.

Cabisbaixo, resumiu assim sua experiência com a  rede da Hyundai: “O atendimento, em geral, sequer levou meia hora. Foi quase como se tivessem dito: ‘Quer um? É assim. Não está interessado? Dê licença, que tem mais gente querendo’, antes de praticamente me empurrarem para fora da loja”.

Final da história? Ele seguiu para uma loja da Honda, onde recebeu o que queria: após meia hora de apresentação dos produtos, test-drive extenso com um City automático, boa valorização do Agile usado e negociação dos valores, conseguiu sair com um exemplar da configuração intermediária (com câmbio automático, mas sem borboletas de troca atrás do volante) pelo preço da básica (manual).

Agora, UOL Carros quer saber também a história do leitor, que também é comprador de carros. Tentou comprar um HB20, hatch ou sedã? Conseguiu? Não conseguiu? Tem problemas com o pós-venda? Está de bem com a vida a bordo do carro novo? Conte sua experiência no campo de comentários deste post ou da avaliação.


Peugeot 208 quer ser assunto: jornal na sexta, futebol no domingo
Comentários 29

UOL Carros

A Peugeot realmente aposta alto no 208 — como UOL Carros já afirmou, o novo hatch é o carro da vida da marca, fundamental para definir seu futuro no país. Na Europa, o modelo é líder de vendas em sua categoria; para o Brasil, a meta é menos ambiciosa, mas igualmente importante: ser o Peugeot mais vendido. Mas para isso é preciso que o público veja, conheça e fale do carro.

Foto: Eugênio Augusto Brito/UOLFoto: Eugênio Augusto Brito/UOL
208 e “Corrida Maluca” enveloparam jornais nesta sexta-feira

Nesta sexta (12), quem acordou cedo para buscar o jornal achou o matinal encapado com a propaganda do 208. “O lançamento do ano já está em todas as concessionárias Peugeot”, anuncia em letras maiúsculas um anúncio, que deixa apenas o nome do periódico à mostra.

Por meio de sua assessoria, a Peugeot explica que a ideia é criar expectativa, curiosidade e burburinho — aquilo que agora é chamado de “buzz” — em torno do modelo. E, claro, levar o possível comprador a querer passar na concessionária no sábado, dia 13 de abril, para conhecê-lo. A data foi definida como abertura oficial das vendas do carro — com preços entre R$ 39.990 (Active) e R$ 54.690 (Griffe, com câmbio automático) — por estar exatos 208 dias à frente da segunda-feira (22 de outubro de 2012) em que o modelo foi apresentado no país, durante o Salão do Automóvel de São Paulo (relembre aqui).

Além de envelopar jornais, o time de marketing da Peugeot criou ainda hot site, onde é possível obter informações e até configurar o carro, chamadas para rádio, filmes publicitários para TV e peças para revistas.

Mas o auge da campanha entra em campo no domingo, literalmente. Patrocinadora do Flamengo, a montadora vai estampar o numeral 208 no uniforme do time todo antes do clássico Fla-Flu. Com a bola rolando, somente o atacante Rafinha (normalmente o camisa 11) continuará com o 208. Além disso, um carro será entregue à diretoria do clube da Gávea e deve ser repassado ao melhor da equipe.

Há alguns mistérios na campanha, porém. A Peugeot não divulga, por ora, quanto gastou na elaboração da estratégia toda. Nem entrega o significado da silhueta dos personagens do desenho “A Corrida Maluca”, de Hanna-Barbera, no fundo da capa falsa dos jornais, atrás da imagem do 208. A pista está no slogan, destacado das demais maiúsculas por estar em negrito: “Dentro dele é outro mundo”.

Será uma tentativa — comum ao mercado automotivo, aliás — de dizer que o ocupante do 208 vai achar todos os outros carros bizarros, como os modelos hilários do desenho (“carroça a vapor” e “carro de pedra” eram dois dos bólidos pilotados por Dick Vigarista e sua turma)? Ou haverá alguma gincana para enlouquecer clientes?

A Peugeot promete elucidar tudo na terça-feira (23), quando vai dar mais detalhes sobre a campanha nacional do 208. Isso, claro, se o Fluminense não atravessar a festa no domingo.

Veja como é o carro da vida da Peugeot

Veja Álbum de fotos


Range Rover Evoque aprende a contar até nove; e nos surpreende novamente
Comentários 14

UOL Carros

Foto: Divulgação

O Range Rover Evoque é revolucionário por uma série de motivos.

Primeiro por ser peça fundamental dentro da estratégia de sobrevivência da Land Rover no mundo contemporâneo: a marca precisava de um carro atual, estiloso e divertido de guiar o bastante para atrair novos consumidores (avessos ao tradicionalismo exagerado da gama de jipões ingleses, considerados quadrados demais, em todos os sentidos), sem deixar de instigar os clientes fieis.

Deu tão certo (releia nosso teste com o carro), que o novo Range Rover Vogue, o topo da linha, é inspirado no próprio Evoque.

Segundo porque sua versão de produção deu aula de design ao ganhar as ruas sem dever nada (pelo contrário, ficou até melhor) ao conceito que fez sucesso nos Salões que antecederam seu lançamento.

E na última quarta-feira (27), a marca confirmou o caráter de sua cria com uma nova primazia: o Evoque vai estrear, no Salão de Genebra (que acontece entre 7 e 17 de março), um câmbio automático de nove marchas. Atenção: é automático, mesmo, com conversor de torque e tudo, não automatizado (que tem embreagem, às vezes mais de uma, movimentada mecanicamente, e ainda está na casa das sete marchas). Pois bem, ele será o primeiro carro em série do mundo a ter este tipo de transmissão.

O sistema, para não variar, foi desenvolvido pela empresa alemã ZF (especialista em transmissões e que fornece tecnologia para diversos fabricantes) em sua unidade da Carolina do Sul, nos Estados Unidos. É a mesma casa que desenvolveu o câmbio de oito marchas usado atualmente por Volkswagen (Amarok), Chrysler (300 C), BMW (em praticamente todos os carros, desde o Série 1)  e pela própria Land Rover (Freelander, Discovery etc).

Foto: Murilo Góes/UOL

Primeiro o Evoque mostrou que é bonito e sabia voar; agora, conta até nove

PRECISA DE TUDO ISSO?
Olhe para o carro aí na sua garagem. É automático? De quantas marchas? Boa parte das marcas presentes no Brasil ainda só sabe contar até quatro. Mas o resto do mundo sabe que quanto mais melhor: quanto mais alta a marcha, menor é o regime de rotações em que o motor trabalha e maiores os benefícios. Baixo consumo de combustível, baixos níveis de emissão de poluentes, menos ruídos, menor vibração… e maior disposição em saídas, retomadas e momentos de mais uso de força.

Este é o apelo que a Land Rover usa para promover o novo câmbio no Evoque. “O carro terá significante melhora no consumo de combustível e redução de CO2″, confirma o comunicado, que avisa ainda que as relações de marcha mais curtas corresponderão a melhores reacelerações do SUV e maior força, sem fazer mais barulho.

Mas a nova caixa deve ser um trambolho, não? Errado! O conjunto é maior, mas quase nada, 6 mm a mais. Mas é mais leve, em 7,5 kg, que o atual câmbio do Evoque, que tem apenas seis marchas.

Até pouco tempo atrás, muitos pensavam que as seis marchas eram o limite para os câmbios automáticos. Mas isso já foi desmentido por três vezes. Até onde a tecnologia pode chegar e nos ajudar a derrubar paradigmas, consumo e emissões? (André Deliberato, Eugênio Augusto Brito)

 


Veja os 80 principais carros lançados no Brasil em 2012 e vote no principal
Comentários 1

UOL Carros

ATUALIZADO EM 24/12:

O ano de 2012 foi bastante agitado para o mercado automotivo brasileiro. Como mostramos aqui na primeira versão de post, chegaram ao país 80 lançamentos minimamente relevantes. E entre versões, apresentações e promessas, o número passou de 400, segundo levantamento do jornalista Joel Leite, em seu blog O Mundo em Movimento.

Assim, a partir desta segunda-feira natalina (24) e durante todo o período de festas, UOL Carros que saber também a sua opinião: Qual é o lançamento mais importante de 2012? Para escolher seu preferido dentre os 80 carros listados por nossa equipe basta clicar sobre a pergunta para seguir à página da enquete. Também é possível votar através do álbum com o listão dos 80 carros, neste link.

COMO É O LISTÃO
A lista de UOL Carros traz a nata do que desembarcou no Brasil: inclui SUVs para diferentes bolsos (a safra foi extensa este ano), picapes médias, esportivos de todos os tamanhos (o país redescobriu o prazer de guiá-los), luxuosos de preço astronômico, modelos médios interessantes e toda uma nova geração de compactos, segmento que passou por uma renovação este ano.

Todos estão reunidos no super-álbum, onde você poderá rever cada uma das estreias, conferir nossas avaliações e — a partir de agora — votar no principal lançamento:

Listão mostra os 80 principais lançamentos de 2012

Veja Álbum de fotos


Deixamos de lado modelos que apenas trocaram de ano, sem apresentar mudanças significativas. Quer um exemplo? O sedã Nissan Sentra, que poupou esforço em 2012 por conta da possível mudança de geração em 2013.

Os motivos para tanta movimentação são muitos: foi ano de imbróglio sobre a importação de carros do México e de efetivação da barreira do super-imposto para carros importados, certamente; mas também foi ano de empurrão do IPI reduzido para estimular as vendas nacionais; de definição de regras para o setor (programa Inovar-Auto), alavancando as promessas de investimento; de renovação total da linha da Chevrolet, até então envelhecida; e de Salão do Automóvel de São Paulo, com dezenas de novidades.

Na ponta do lápis, o número redondo é significativo: o total de boas novidades subiu 33% em relação ao ano de 2011, que já havia sido bastante aquecido e teve até recorde histórico de vendas. A marca, aliás, será batida agora em 2012, que termina em menos de duas semanas. E, tudo indica, conduzirá a um 2013 tão interessante quanto.

VEJA TAMBÉM: Os eleitos de UOL Carros


Enquete mostra que maioria planeja comprar carro em 2013
Comentários 6

UOL Carros

A grana está curta para 19% dos 29.604 leitores de UOL Carros que responderam à enquete “Você pretende comprar um carro zero-quilômetro em 2013?” Negociar carro no ano que vem, nem pensar…

Isoladamente, esta foi a resposta mais escolhida, mas 44% dos votantes vão às lojas de carros no ano que vem – sendo que 28% pretendem mesmo pegar um zero-quilômetro (neste grupo, pouco menos de metade vai pagar à vista, e a outra metade dará um usado e financiará o valor restante).

Os demais 16% vão apostar num carro seminovo em 2013.

Cautelosos, 12% dos leitores que votaram ainda vão avaliar como fica o IPI após a virada do ano — se ele segue reduzido, ou se volta aos níveis normais, acabando com os bons descontos no preço final.

A soma dos votantes que descartam comprar carro por não usá-lo (preferem ônibus, metrô…) com aqueles que estão sem dinheiro deu 29%, pouco menos de um terço do total.

Em outras palavras, sete entre dez leitores de UOL Carros vão, certamente ou provavelmente (os 12% do IPI), fazer algum negócio com carro em 2013, ou então já o fizeram em 2012 (14%).

Vale lembrar que esta não é uma pesquisa científica, e que seu resultado representa apenas a opinião dos leitores que se dispuseram a votar. A soma dos votos não dá 100% devido aos arredondamentos automáticos.


VW Fusca 2013 tem primeiro dono: Neymar
Comentários 8

UOL Carros

Queria ser o primeiro a encomendar, colocar na garagem e acelerar nas ruas o novo Fusca, releitura do modelo clássico — mas agora devidamente turbinado (200 cavalos de potência e câmbio automatizado de dupla embreagem e seis marchas) e equipado (teto solar, spoiler, sonzeira premium, bancos de couro em duas cores, rodão aro 17 e 15 LEDs no farol)? Esquece. Neymar Jr., atacante do Santos F.C. e da Seleção Brasileira chegou antes. De novo.

Ágil como quando está em campo, o jogador fez valer a condição de garoto-propaganda da marca e pediu tão logo subiu ao palco improvisado durante o pré-lançamento do carro (clique aqui para saber mais sobre o carro), na noite de segunda-feira (24), em São Paulo: “Quero um Fusca desse pra mim, pode ser?”

Eugênio Augusto Brito/UOL

Neymar posa entre o diretor de comunicação da VW André Senador e a atriz Guilhermina Guinle

Sim, pode. O contrato com a Volks, firmado em abril deste ano e válido até as Olimpíadas de 2016, prevê que Neymar rode por aí a bordo de um Volkswagen estiloso. Depois de Tiguan e Touareg (que o atacante comprou, aliás), o carro da vez é o novo Fusca, a princípio em regime de comodato. Anda por um tempo, vê e é visto dentro do carro e devolve. Se gostar, compra um com o próprio dinheiro — o que é fácil, aliás, independente de quanto o novo modelo venha a custar (a Volks ainda não definiu o preço para o país).

Com mais um carrão garantido, Neymar foi todo sorrisos e posou para fotos, muitas fotos, da imprensa especializada em carros e em celebridades. Foi clicado ao lado da apresentadora Adriane Galisteu e da atriz Guilhermina Guinle. Circulou de um Fusca a outro (havia duas unidades no local do evento) para agradar à Volks e aos fotógrafos. E depois, num drible, sumiu do local. Mas não de Fusca, ainda, que o carro só chega em novembro. (Eugênio Augusto Brito)


Tudo sobre o inusitado Peugeot RCZ
Comentários 4

UOL Carros

O Peugeot RCZ não foi trazido ao Brasil para vender milhares de unidades por mês. Aliás, se vendesse um milhar de unidades no ano já seria uma façanha. Por R$ 130.990 em versão única, foram 146 carros emplacados em 2012 até o final de julho. O Chevrolet Camaro, líder do nicho de esportivos, vendeu 436 no mesmo período.

O que o RCZ tem de bom, além do design ousado e do acabamento de primeira, exceção na gama Peugeot?

Tem o motor THP de 1,6 litro, um turbocomprimido desenvolvido em parceria com a BMW e usado em modelos como 3008, 408 turbo, Citroen DS3, e Mini Cooper S. É coisa fina — mas o exigente apresentador Marcelo Sant’anna, do Auto+, fez um marcha a marcha com o carro em Interlagos e o achou meio fraquinho… Assista abaixo:

 

Para quem se interessar por esse carro de visual peculiar, há mais a visitar:

+ Nossa avaliação do Peugeot RCZ (atenção: os preços citados estão desatualizados)
+ Álbum com fotos exclusivas do RCZ
+ Como anda o 3008, com o mesmo motor
+ Fotos exclusivas do esportivo da Citroën

Destaque especial para o comparativo feito pelo parceiro Best Cars entre o cupê francês e o seu gêmeo de motor, o Mini Cooper S, que pode ser lido aqui.

Para fechar, mais um vídeo em Interlagos, mas aqui quem é testado é o Citroën DS3, em volta para o ranking da revista Fullpower