Blog UOL Carros

Arquivo : novembro 2010

Flagras mostram tentativa da GM de virar o jogo no Brasil
Comentários Comente

UOL Carros

Da Redação
Em São Paulo

Dez a seis. Este seria o placar desfavorável de um jogo “velhos x novos” dentro da atual linha de produtos da Chevrolet no Brasil. Mas estamos fazendo esta contagem por quê? Simples: por termos recebido via e-mail as imagens que você vê na sequência:

O carro da imagem acima é um exemplar da quarta geração do Opel Corsa (mas anterior à atualização) visto numa das instalações da GM do Brasil, ao lado de um Classic. Já na foto abaixo, o mesmo carro é observado por outro ângulo e, bem ao fundo, é possível notar mais um exemplar branco — outro Corsa europeu.

Embora este modelo do Corsa já esteja dando as caras por aqui há algum tempo (veja notas divulgados pelo iCarros nos meses de maio e junho, aqui e aqui), a presença de tantas unidades pode indicar uma maior seriedade, e até urgência, do teste. Afinal, é mais do que notória a necessidade da fabricante em atualizar seu portfólio — há até um limite de prazo para que isso ocorra: 2012.

Olhando a segunda imagem com mais atenção, conseguimos contar 15 carros. Nos acompanhe: além dos dois Opel Corsa e do Classic citados, uma picape Montana de carroceria preta pode ser facilmente reconhecida em segundo plano (logo atrás do Corsa).  Ainda nesta linha, há um pedaço de capô e farol que podem ser de um Agile ou de outra Montana (à direita) e um carro camuflado (à esquerda). Numa terceira linha, há outro carro camuflado e parcialmente coberto por uma lona (à direita), um pedaço não identificável de carroceria e mais um carro totalmente coberto. No quarto plano, podemos ver um carro com camuflagem branca no segundo volume, mas que pelo recorte da lanterna pode ser outro Opel Corsa, e um carro preto que não pudemos identificar (ambos à direita), além de outro carro branco (no lado esquerdo). Por fim, mais ao fundo na foto, temos o Opel Corsa branco intercalado por dois sedãs compactos pretos, todos à frente de mais um veículo coberto.

Sabemos também que, além dos Opel Corsa, também rodam por aí exemplares camuflados do sedã Chevrolet Cruze, provável substituto do Vectra. E muito se fala da família Onix, substituta de Celta e Prisma, que vem demandando investimento pesado da GM e deve ganhar corpo em um ou dois anos.

Voltando ao placar do início deste post, os carros com mais urgência de atualização são, além da dupla Celta e Prisma, o nosso Corsa, Astra, Vectra e Vectra GT (sedã e hatch, respectivamente), as peruas Meriva e Zafira e os utilitários Blazer e S-10 (a picape média também tem substituto à vista, com alguns flagrantes já feitos). Há ainda o caso do Classic, remodelado recentemente, mas que não tem prazo de vida muito longo, por não poder incorporar em sua estrutura equipamentos como freios com ABS e airbags, que terão sua obrigatoriedade no país aumentada gradualmente até 2014.

Em dia, estão o hatch Agile e a picape Montana, o SUV Captiva (embora a Europa já veja atualizações do modelo) e os importados Malibu, Omega e Camaro.

Qual será o resultado deste jogo? Deixe seu palpite (com educação, por favor) no campo de comentários.


Fiat Bravo é visto em rodovia paulista a dias do lançamento
Comentários Comente

UOL Carros

Da Redação
Em São Paulo

Perto do lançamento, o hatch médio Fiat Bravo, que substitui o Stilo no país, foi visto mais uma vez — a apresentação está marcada para os dias 24 e 26, no Rio de Janeiro (RJ). As fotos que você vê a seguir foram feitas pelo leitor internauta Emerson C. Silva.

Fotos: Emerson C. Silva

Nelas, uma unidade azul do Bravo circula por trechos do rodoanel paulista. Embora a cor seja a mesma utilizada pela fabricante no Bravo T-Jet exposto durante o Salão do Automóvel de São Paulo (veja aqui), o exemplar flagrado não é turbinado, o que pode ser notado pela saída simples de escape. As outras versões disponíveis serão a Essence, de entrada, e Absolute.

Uma das fotos mostra, ainda, que o exemplar circulava com a frente encoberta, mas mais do que camuflagem (que não faria sentido, uma vez que o visual do carro já é público) acreditamos tratar-se de proteção para pintura e carroceria, corriqueira em veículos que trafegam em estradas.

Quer saber mais sobre os próximos lançamentos do país? Confira a lista aqui.

Fez fotos de algum segredo? Mande para UOL Carros: uolcarros@uol.com.br


Leitores flagram o retrô HHR e o pequenino March nas estradas
Comentários Comente

UOL Carros

CLAUDIO DE SOUZA
Editor de UOL Carros

Dois leitores nos enviaram fotos de flagrantes de modelos “exóticos”, clicados enquanto circulavam em estradas do Brasil. Um deles é o carro vermelho que você vê abaixo, em imagens tomadas por Paulo Barbieri na rodovia dos Bandeirantes, em São Paulo:

Trata-se de um Chevrolet HHR, modelo de pegada retrô vendido pela marca da General Motors nos Estados Unidos. A unidade ostentava placas de teste e nenhum disfarce. Lançado em 2006, esse crossover (na falta de melhor definição) lembra bastante o finado Chrysler PT Cruiser — não admira, já que ambos foram criados pela mesma pessoa, o designer Bryan Nesbitt.

O HHR, cujas formas citam carros antigos da própria Chevrolet (como o Suburban de meados do século 20), fez relativo sucesso nos Estados Unidos, mas recentemente vem sofrendo uma baixa nas vendas e, segundo se pode ler em publicações e blogs estrangeiros, estaria a ponto de ser descontinuado pela GM — isso já aconteceu com a versão esportiva SS. Nas fotos do flagrante, muito provavelmente, está um exemplar da versão LT com detalhes cromados e rodas aro 16, como o da imagem abaixo:

Divulgação

De acordo com a assessoria da fabricante no Brasil, não há, “por enquanto”, planos de importar o HHR para o Brasil (note o “por enquanto”). Para quem gosta, uma pena, porque o modelo é fabricado no México e viria ao país sem pagar impostos. Nos EUA, seu preço começa em US$ 18.720 (cerca de R$ 32.500).

ESSE SIM, ESTÁ PERTO
O outro flagrante que publicamos aqui foi enviado por um leitor identificado apenas como Willian, que viu esse carrinho circulando perto das fábricas da Renault e da Nissan em São José dos Pinhais, no Paraná:

Também com placas de teste, trata-se de um Nissan Micra, que no Brasil (onde permanece inédito, apesar de existir desde 1982 e estar na quarta geração) será comercializado como March. Esperado para algum momento de 2011, é um carro-chave da marca japonesa no mercado verde-amarelo — onde ela pretende chegar a 5% de participação até 2014. Para conseguir isso, só mesmo com carro pequeno e “baratinho”.


A volta dos lançamentos: Fusion híbrido, Camaro e Bravo
Comentários Comente

UOL Carros

Da Redação
Em São Paulo

Passado o Salão do Automóvel, a agenda de lançamentos automotivos volta a ferver. Esta semana foram dois, já devidamente resenhados por UOL Carros: o Toyota RAV4 4×2 e o Peugeot 3008.

Hoje, quinta-feira (11), participamos de uma apresentação à imprensa dos carros híbridos da Honda, o CR-Z e o Insight, aparentemente ainda distantes das nossas lojas. Amanhã vamos experimentá-los ao volante e reportar a experiência aos leitores.

Nas duas próximas semanas também tem muita coisa bacana: na sexta-feira, 19, será a vez de outro carro híbrido, este até com preço definido (R$ 133.900): o Ford Fusion Hybrid. Fora a inevitável repercussão do test-drive na imprensa, um exemplar do carro servirá à presidente Dilma Rousseff no Planalto — ele foi cedido pela Ford em comodato.

Murilo Góes/UOL

Vamos dirigir o Camaro numa pista de testes nervosa — mas esperamos que seja um exemplar amarelo!

Na segunda, 22, e terça, 23, uma atração internacional das mais apetitosas: testaremos — na excelente pista da General Motors em Indaiatuba, interior de São Paulo — o Chevrolet Camaro, que virá na configuração mais invocada por salgados R$ 185 mil. Aguardem uma cobertura muito especial!

Logo em seguida, entre os dias 24 e 26, a Fiat lança no Rio de Janeiro o Bravo, em nossa opinião o mais importante lançamento do Salão do Automóvel — pelo simples fato de ser o único fabricado em terras verde-amarelas.

São sinais de que um 2011 recheado está por vir.


Balanço final: Salão de SP 2010 chega a 750.823 visitantes
Comentários Comente

UOL Carros

CLAUDIO DE SOUZA
EUGÊNIO AUGUSTO BRITO
RODRIGO LARA
Em São Paulo

Atualizada às 17h49 de 11/11

Às 17h30 do domingo, dia 7, as cortinas vermelhas do portão principal do Pavilhão de Exposições do Anhembi foram fechadas e alguns funcionários chegaram a bater palmas. A partir daquele momento estava encerrado o acesso público à 26ª edição do Salão Internacional do Automóvel de São Paulo. Uma hora e meia depois, precisamente às 19h, em meio a um “buzinaço” proveniente de diversos estandes, o evento foi encerrado em definitivo.

Em seguida, as cenas predominantes no Anhembi eram os carros sendo cobertos novamente, exatamente como estavam pouco antes da chegada da imprensa, nos dias 25 e 26 de outubro, e de trabalhadores recolhendo o lixo e tentando “arrumar a casa” depois de tanto movimento.

Eugênio Augusto Brito/UOL
Hora do adeus: carros são cobertos no estande da Volkswagen após o encerramento do salão

De acordo com números ainda extraoficiais, mas vindos da assessoria do evento, o público de 2008 foi batido, e com muita folga: como registrou o site Interpress, foram 750.823 pessoas visitando o Anhembi — a expectativa inicial, bastante conservadora, era receber 600 mil, menos que em 2008 (625.330 visitantes). Ao contrário do que publicamos anteriormente neste blog, o maior público recebido pelo salão foi nos anos 1970 — a edição de 1976 roçou o milhão de pessoas.

- FOI AO SALÃO? DÊ SUA OPINIÃO SOBRE O EVENTO
- FEZ FOTOS NO ANHEMBI? ENVIE PARA O UOL

Para se ter uma ideia do fluxo do público, apenas na terça-feira, 2 de novembro (feriado de Finados), o número de visitantes foi estimado em 70 mil.

MAIOR EVENTO PAGO
A próxima edição do Salão do Automóvel, a 27ª da história, deve ocorrer em outubro de 2012, sempre cerca de três semanas depois do Salão de Paris — mas a data exata do início ainda não foi definida. É necessário, aliás, avaliar se o Pavilhão de Exposições do Anhembi terá condições razoáveis de abrigar o próximo salão, que já cresceu demais este ano e deve ser vitaminado nos próximos dois, caso a economia se mantenha forte.

Uma prova disso: agora confirmada, a visitação de mais de 750 mil pessoas faz o Salão do Automóvel o principal evento com cobrança de ingresso da cidade de São Paulo. No ranking geral, agora o salão só perde para a Virada Cultural, a Parada Gay e o Réveillon na Paulista (4 milhões, 3,5 milhões e 2,4 milhões de participantes, respectivamente, em números de 2009). E esses são três eventos de rua, totalmente gratuitos.

Outro dado impressionante: o Salão de São Paulo ficou a apenas 100 mil pessoas de igualar a frequência do evento de Frankfurt, na Alemanha, em sua edição de 2009. O autoshow germânico é o maior do mundo no que se refere ao espaço físico, e é sediado na cidade que é capital financeira da Europa e um dos principais, senão o principal, hub aeroviário daquele continente.


Um olhos nos carros, outro na pista
Comentários Comente

UOL Carros

EUGÊNIO AUGUSTO BRITO
Da Redação

Embora automobilismo não seja o assunto principal aqui em UOL Carros (o que não quer dizer que não gostemos, e muito), é vital registrar a integração entre o Salão do Automóvel de São Paulo, em seu último dia, e o GP do Brasil de Fórmula 1, disputado no Autódromo de Interlagos.

O “efeito F-1″ sobre o salão é visível: quem veio neste domingo ao Anhembi encontrou o Pavilhão de exposições menos cheio do que era de esperar nesta última semana e, principalmente, nestas últimas horas de evento (o salão fecha suas portas às 17h e encerra suas atividades às 19h).

Fotos: Eugênio Augusto Brito/UOL


No estande da Fiat, um telão faz as atenções se dividirem entre o Anhembi e Interlagos
,
enquanto na Ferrari pouca gente deu bola para o que se passava no GP do Brasil (abaixo)

Ainda assim, muita gente aproveitou a última chance de ver as novidades da indústria automotiva brasileira e mundial. Sem deixar, claro, de manter um olho atento à decisão do campeonato de Fórmula 1 e de estampar em camisas, bonés e acessórios sua torcida.

Alguns estandes ainda deram uma forcinha ao torcedor: Fiat, Ford, Citroën, Renault, Peugeot e, óbvio, Ferrari converteram seus telões em grandes aparelhos de televisão e transmitiram a corrida. A Renault contava ainda com o atrativo de ter uma réplica de um carro oficial, no caso, do polonês Roberto Kubica.

Acima, o espaço “criativamente tecnológico” da Citroën antenado em Interlagos.
Abaixo, uma réplica de carro da equipe Renault de F-1 dividia espaço e olhares com um telão

Apesar disso, ao menos na Ferrari, pouca gente ligou para a imagem da pista, preferindo (tentar) fazer um registro do cupê 599 GTO e de outros modelos expostos… parece ter previsto o resultado: ao final de 71 voltas em Interlagos, nada de festa para o piloto ferrarista Fernando Alonso, que podia levar o título hoje, mas chegou na terceira posição, atrás da dupla da Red Bull Mark Webber (segundo colocado) e Sebastian Vettel (o vencedor), e viu o sonho do tricampeonato adiado (saiba mais aqui).

A disputa do título de campeão da temporada 2010 ficará para a última corrida, em Abu Dhabi, na próxima semana. Já o Salão do Automóvel termina hoje e, agora, o momento é de correr para ficar pertinho dos carros de passeio.


MG e Mustang dão duas caras a estande de importadora
Comentários Comente

UOL Carros

RODRIGO LARA
Colaboração para UOL Carros

Atualizada às 19h16

O estande da importadora de veículos Forest Trade é uma versão automotiva do romance O Médico e o Monstro, do escocês Robert Louis Stevenson, o qual narra a história do médico inglês Dr. Jekyll, criador de uma fórmula capaz de separar e ativar os lados racional e irracional de um ser humano. Ao testar o invento em si mesmo, contudo, ele se transforma no Mr. Hyde — um monstro musculoso que age unicamente seguindo seus instintos.

Como o tema aqui é carro, e não literatura, expliquemos: a semelhança entre o romance e o estande se dá pelo fato de ele ter, literalmente, duas caras. Uma delas são os pacíficos carros da MG, tradicional fabricante inglesa que, hoje, opera sob a tutela do grupo chinês Saic-NAC. Nele é possível encontrar três modelos: MG 550 Turbo, MG 6 Turbo e MG 750 Turbo.


O MG 6, um dos interessantes e clássicos carros da MG, agora sob tutela chinesa

São carros de formas clássicas, conservadoras, e com requinte no acabamento. Os dois primeiros estão equipados com o mesmo motor de quatro cilindros, 1,8 litro e turboalimentado, capazes de gerar 170 cavalos a 5.500 rpm. O 550 Turbo é um sedã de quatro portas com 4,65 m de comprimento. Já o 750 Turbo, um sedã de grande porte, é o maior da turma, com 4,86 m de comprimento e motor V6 de 2,5 litros. O mais interessante, porém, é o 6 Turbo, que adota uma carroceria de cupê de quatro portas e um desenho que flerta com a esportividade.

Os três modelos são comercializados no país. O 550 Turbo sai por R$ 94.800; o 6 Turbo por 99.800; e o 750 Turbo por R$ 125 mil. Há também a previsão de trazer, provavelmente em 2011, o MG 350. O sedã médio seria o modelo de entrada da marca e, equipado com um motor 1,5 litro turbo, tem preço estimado de R$ 75 mil.

Mas, dando a volta no estande, é possível ver a face ‘Mr. Hyde’ da exposição da Forest Trade. Lá são mostrados dois Mustang poderosos: o Shelby Mustang GT 500 e o Shelby Mustang GT 500 Super Snake. Cotados a R$ 330 mil, no caso do GT 500, e R$ 550 mil para a versão Super Snake, eles possuem uma cavalaria de respeito: 540 cv e 725 cv, respectivamente.

O Super Snake, em especial, deverá receber melhorias para a versão 2011. “É esperado que a potência passe dos 800 cavalos. Também haverá modificações para tornar o carro mais leve, o que auxilia na dirigibilidade”, conta Marcio Milani, responsável pelo marketing da Forest Trade. A se julgar pela reação do público no estande, o Mr. Hyde é a personalidade mais popular por ali…


Lotado, Anhembi vira sauna
Comentários Comente

UOL Carros

A movimentação nesta sexta-feira (5), último dia de semana do Salão do Automóvel — sim, vai só até domingo — é intensa. Logo após a abertura ao público, às 13h, o número de visitantes já superava (numa análise visual) o dos outros dias de semana. A impressão é que as pessoas compareceram em massa ao salão nesta sexta justamente esperando encontrar um Anhembi menos lotado do que no final de semana…


Área próxima a Renault e Nissan vira refúgio para trabalhadores do Anhembi — e você também pode usá-la

Andar pelos corredores é uma tarefa árdua, principalmente devido à temperatura dentro do pavilhão. UOL Carros conferiu o que dizia o termômetro do Mustang Shelby GT 500 Super Snake e de outros modelos expostos — de 28º C e 30º C. A sensação de calor é acirrada devido à ventilação deficiente e à multidão.

Para quem vier ainda nesta sexta ou no fim de semana, há um verdadeiro oásis dentro do Anhembi, entre os estandes da Nissan e da Renault. Não há carros expostos ali, e por isso o local é ideal para quem quer fazer uma pausa. E uma boa notícia: é possível entrar no Anhembi com garrafas plásticas. Leve sua própria água e evite os altos preços praticados no salão.


‘Romaria’ ao Salão do Automóvel está chegando ao fim; corra!
Comentários Comente

UOL Carros

EUGÊNIO AUGUSTO BRITO
Da Redação

A 26ª edição do Salão do Automóvel está perto do fim, mas ainda resta um bom tempo de “romaria” para quem ainda não foi ao Pavilhão de Exposições do Anhembi conferir de perto as novidades.

Nesta sexta (5) e sábado (6), o horário para o público é padrão e vai das 13h às 22h, com entrada até as 21h; no domingo (7), último dia, o horário é diferenciado: das 11h às 19h, com entrada até 17h. Mais detalhes podem ser vistos clicando-se aqui.

Quatro dicas para se dar bem nestes últimos dias: chegue cedo, se possível utilize o transporte público e os ônibus especiais que saem do Terminal Tietê, faça esquemas do local e do que pretende visitar e, importante, esteja pronto para enfrentar a companhia de muita gente. A foto abaixo da ideia da peregrinação que toma conta do Anhembi nestes últimos dias:

Fotos: Eugênio Augusto Brito/UOL

Imagem do Pavilhão do Anhembi na início da última semana do Salão do Automóvel 2010

Para quem é fã de automóvel e de novidades, a visita vale a pena, ainda que dê trabalho. Além dos 450 carros e das inúmeras novidades que o internauta tem acompanhado aqui em UOL Carros, através de nossa cobertura especial, o salão ainda tem estandes de publicações, fabricantes e lojistas de autopeças, produtores e revendedores de videogames, amostras de inúmeros projetos e equipamentos tecnológicos e muito mais.

É possível ver os grandes carros nacionais, os ícones importados, os veículos mais caros do mundo e, ao mesmo tempo, ter uma “palinha” de gadgets que ainda vão chegar ao país, como o game GranTurismo 5 do PlayStation3 (há uma amostra no estande da Citroën rodando com o exemplar do conceito GT criado pela marca francesa e que também está exposto) ou F1 2010 (no estande da Sony/Saraiva), o acessório Kinect do XBox 360 (no estande da Chevrolet) ou o tablet Samsung Galaxy, concorrente do Apple iPad (também no espaço da Citroën). Também dá para deixar as crianças se divertirem ou cuidar do visual (espaço Kids e salão de beleza feminino no estande da Volks).

Agora, curiosamente, um dos campeões de “romaria” (olha a palavra aí outra vez), no melhor sentido do termo e de seu imaginário, tem sido a versão Noir Edition (ou Edição Negra) do hatch Citroën C3, personalizado por produtores a pedido da marca.

A foto acima mostra uma constante: o carro e sua pintura fosca têm atraído inúmeras mãos neste salão. A fotógrafa Letícia Lovo (que também aparece na imagem “conferindo de perto” o modelo) tenta explicar a atração do público: “A textura da pintura fosca dá essa vontade de conferir com as mãos como é o carro”.

A parte difícil, claro, fica com as equipes de limpeza e manutenção do salão e das marcas ao fim do dia. Mas essa já é outra correria…


Renault Sandero GT Line no álbum e nas lojas
Comentários Comente

UOL Carros

A receita é conhecida: máscara negra, rodas e apêndices escuros, cores “diferenciadas”, adesivos esportivos… mas nada de alterações mecânicas. Com isso, cria-se de “aventureiros” a “esportivados”, que as fábricas gostam de chamar de esportivos. O mais recente modelo nacional a adotar o pacote é o Sandero, da Renault.

Com o nome de Sandero GT Line, chega com o mesmo motor 1.6 que equipa a versão mais cara do hatch civil ou o aventureiro Stepway. Mostrado neste Salão do Automóvel, já chega às lojas do país por R$ 42.590 com airbag duplo. Se quiser freios com ABS o preço sobe em R$ 1.000.

Quer ver fotos? Clique sobre a imagem abaixo:

Foto: Murilo Góes/UOL

Sandero GT Line é versão esportivada do hatch da Renault: R$ 42.590